quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Guimarães - Castelo e Paço dos Duques

Já faltava um post sobre a cidade de Guimarães, o chamado berço de Portugal! 
Fui aluna de mestrado do Polo de Azurém da Universidade do Minho, pelo que este post é obrigatória.

Chegada a Guimarães

Mas começando pelo Castelo de Guimarães...

Interior do Castelo de Guimarães

Á uns anos atrás, o castelo tinha entrada gratuita, mas não se visitava a torre, e a passagem em redor do castelo era íngreme e perigosa. Neste momento paga-se 2€ (fica mais barato se comprarem bilhetes combinados, mas já falarei mais à frente), mas agora existe passadiço em redor do castelo, sendo mais seguro a passagem e é possível entrar-se no interior da torre.

A fortaleza do Castelo de Guimarães foi construída no século X, quando a Condessa Mumadona Dias constrói na sua herdade um mosteiro e tem a necessidade de guardar e defender os monges e comunidade cristãs dos constantes ataques dos mouros e normandos.

Interior do Castelo - Passagem para a Torre

No século XII, dá-se a formação do Condado Portucalense, oferecido pelo rei D. Afonso VI de Leão e Castela à sua filha ilegitima D. Teresa de Leão pelo casamento com o Conde D. Henrique. Estes vem viver para Guimarães, e mandaram realizar várias obras no castelo, por forma a ampliá-lo e torná-lo mais forte. Dizem que foi no interior que provavelmente teria nascido D. Afonso Henriques.

Vários reis, entre os séculos XIII e XV realizaram várias obras de melhoramento e restauro do castelo.
Ficou conhecido por vários acontecimentos, tal como a Batalha de S. Mamede em 1128. Uma vez perdida a função defensiva, o Castelo ficou ao abandono e exposto à degradação até ao século XX, quando é declarado Monumento Nacional.

Vista do Castelo; Réplica da Espada de D. Afonso Henriques; história do Castelo em imagens e mapas

Na torre do Castelo é possível seguir toda a história do castelo através de imagens e mapas. Tem também uma replica da famosa espada de D. Afonso Henriques. Do Castelo pode apreciar-se uma vista ampla sobre a cidade, em que se vê também o Paço dos Duques de Bragança.

Estátua de D, Afonso Henriques, com a Igreja de S. Miguel do Castelo atrás

Entre o Paço dos Duques e o Castelo, situa-se a Igreja de S. Miguel do Castelo, construída muito provavelmente pelo Conde D. Henrique no início do século XII. É uma igreja de pequenas dimensões, mas com grande simbolismo, uma vez que terá sido aí que foi baptizado D. Afonso Henriques. Dentro da pequena igreja, é possível ver-se a pia baptismal. A entrada é gratuita.

Passando ao Paço dos Duques de Bragança...

Vista do Castelo para o Paço dos Duques e Igreja de S. Miguel do Castelo

O Paço dos Duques foi mandado construir no século XV por D. Afonso, filho bastardo do rei D. João I e futuro Duque de Bragança, e que serviu de residência a si e à sua segunda mulher, D. Constança de Noronha.
No século XVI entra em abandono e posteriormente em ruína que se agravou até ao século XX. O palácio começou a ser alvo de obras de reedificação em 1937 e transformado em museu a partir de 1959.

Interior do Paço dos Duques - fotos de algumas das salas que se podem visitar

Ao visitar o interior do Paço, é possível ver as várias salas onde se encontram enormes tapeçarias que narram várias histórias dos descobrimentos, mobiliário português e porcelanas da Companhia das índias. Existe ainda uma sala com várias armas e armaduras expostas. É possível ver enormes salões , uma capela com vitrais lindíssimos, e ainda o quarto de D. Catarina de Bragança.

O preço do bilhete normal para entrar no Paço é de 5 euros. No entanto, se comprar o bilhete combinado Paço dos Duques+Castelo de Guimarães pagam 6 euros (poupam 1 euro). Existem aqueles bilhetes especiais para crianças com menos de 12 anos, estudantes e reformados.

Igreja da Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos

Toda a cidade é envolta em história, onde é possível ver edifícios fantásticos. De salientar, a Igreja da Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos, sendo um exemplar na arte barroca na cidade. 

Vale a pena a visita à cidade!

By Lum

1 comentário:

  1. Lembro-me de lá ir há muitos anos ainda devia andar na primária... é muito giro mas tive vertigens nas muralhas do castelo...

    ResponderEliminar