Campanha Youzz - Biotherm Skin Fitness

Como sabem, fui escolhida para a campanha Biotherm Skin Fitness da Youzz. Já devem ter vistos os vários posts que já fiz nas redes sociais do blog.
Já conhecem este produto?
Eis o que sabemos sobre ele:
Biotherm Skin Fitness ajuda a recuperar após a prática de exercício. Durante a atividade física o corpo perde água e minerais essenciais, fazendo com que necessite de hidratação e cuidados.   Biotherm Skin Fitness é um conceito de tratamento corporal, especialmente desenhado para mulheres com um ritmo de vida intenso e que praticam desporto. Entre os múltiplos benefícios, tem um efeito tonificante para complementar o teu exercício físico, ao mesmo tempo que desintoxica a pele.

O que notei de diferente na pele:
Mal aplico o creme, sinto que a pele fica hidratada, com aspecto saudável e não que aquele aspecto que parece ressequida. A nível da recuperação do cansaço muscular, também senti que ajuda bastante.
Na utilização continua, senti a pele com mais firmeza e as minhas estrias parecem estar mais atenuadas. Espero melhorar ainda mais com o decorrer do tempo.

Aspectos positivos:
O creme é absorvido rapidamente 
Não é pegajoso
Dá uma sensação de alivio e frescura
Boa textura
Algum tempo, após a aplicação, o aroma é bastante agradável.

Aspectos negativos:
Mal se aplica, o aroma é um pouco forte. No entanto atenua algum tempo depois, ficando um aroma muito agradável.

Recomendo!

By Lum

Miminho Caudalie

Quem não gosta de receber um miminho quando compra um produto da sua eleição?

Hummm, acho que não conheço ninguém!

Eu adoro os produtos da Caudalie, é sem dúvida a minha marca de eleição. Já tinha falado, que a minha pele do rosto é estranha, se lhe dou muita hidratação, fica oleosa; se corto na hidratação, fica seca (até repuxa). Encontrei o meio termo nos produtos da Caudalie: combino o Sérum S.O.S. Hidratante com o Creme Sorvete Hidratante - faço depois um post com a minha opinião/review destes produtos, prometo!

Desta vez, lá fui comprar estes produtos, e qual não foi o meu espanto, quando na loja me deram isto:

E o que estava dentro das latinhas:

Portanto, pelo preço habitual dos produtos, trouxe as duas latinhas e dois vernizes, que por acaso são bem giros. Ainda não os experimentei nas minhas unhas, mas adorei ambas as cores! (quando os experimentar, também vos mostro!).


Digam lá se não foi um miminho bem bom? :)

By Lum

Novo Inquilino, de Doreen Tovey

"A família Tovey sabe o que é o caos, especialmente o de tipo siamês. Mas quando o seu adorado gato Solomon morre inesperadamente, Charles e Doreen vêem-se confrontados com um dilema: deverão ou não arranjar outro gato? 
Mas os animais triunfam sempre na casa dos Tovey, e esta não vai ser excepção. Será, pois, a pensar no melhor para a gatinha Sheba, que o casal se lança à procura de um digno sucessor de Solomon. E é assim que o alvoroçado Seeley dá entrada nesta alegre e caótica casa.
…E Seeley vai deixar bem claro que está à altura de Solomon mal cai num lago repleto de peixes..."


Sem dúvida, um livro que nos enche a alma com as peripécias contadas. Um livro pequeno, que li num ápice. 
A autora tem uma escrita de leitura fácil, que nos prende. 
A família Tovey vê-se abalada com a morte do seu gato Solomon e decidem encontrar um sucessor para fazer companhia à gatinha Sheba. E é nesta procura que encontram o Seeley, um gatinho pequeno e muito traquina. E em torno das traquinices do Seeley que o livro se constrói. Confesso que muitas das peripécias e traquinices, lembrava-me do meu gatinho que faz exactamente o mesmo :P

Um livro que vale a pena ler, sendo ou não amantes de gatos, pois é uma leitura extremamente agradável e relaxante! Recomendo!

By Lum

Situações de caca!

Como se não bastasse andar com dores no pé à 2 meses (literalmente quase coxa) e de ter que andar em fisioterapia feita maluca, com ligeiras melhorias e não saber o porquê de estar assim, eis que....

Após uma sessão proveitosa de fisioterapia, que me aliviou bastante as dores, saio da clínica e dou com meu carro batido... ya, batido!!!
O carro estava bem estacionado, direitinho, fora da estrada. O certo é que o carro estava batido e não havia sinal de ninguém...

Fui perguntando às pessoas que por lá passavam se tinham visto alguma coisa, a resposta era sempre negativa. Fui ao café em frente perguntar numa ultima tentativa de tentar perceber o que se tinha passado e quem tinha sido. E o que fico a saber? Que foi um gaijo numa mota, que espetou-se contra o meu carro, de seguida mandou-se contra a parede e fugiu. "Só podia estar bêbado, menina!", diziam eles. Incrivelmente, não tiveram tempo de ver a matricula (Akward, I have to say!).


Conclusão: Fiquei com o carro estragado: pará-choques partido, jante toda arranhada! O gaijo nem vê-lo! Não sou pessoa de andar para aí a rogar pragas, mas espero que o cabrão se tenha esbardalhado todo na primeira rotunda que lhe apareceu! Enfim....

By Lum

Mafalda de Saboia, de Diana de Cadaval


"Quando a sua amiga D. Teresa lhe contou, entre lágrimas, o terrível segredo que guardava há anos no peito, D. Mafalda de Saboia sabia que morreria sem nunca poder contar a verdade sobre o seu marido Afonso Henriques. A legitimidade e consolidação do reino de Portugal, perante a Santa Sé e o mundo, razões pela qual fora escolhida para partilhar o destino com o primeiro rei deste reino distante, dependia de si e do seu silêncio."

Um livro de fácil leitura, em que a história é contada como se fosse a própria D. Mafalda a narrar. Foi a primeira rainha de Portugal, mulher de D. Afonso Henriques, um casamento importante para o reconhecimento do reino perante a Santa Sé. Foi uma mulher que cumpriu com as suas obrigações, deu herdeiros e assegurou a continuidade da dinastia. Sofreu com a traição de D. Afonso Henriques, com a mesma amante de quem já teria dois filhos antes de casar. Sofreu com a morte prematura de dois dos seus filhos. Morreu a dar à luz, ainda muito nova. O seu reinado foi curto.

Acredito que tenha sido um livro complicado de escrever, uma vez que as informações deste tempo são escassas. Neste livro é possível perceber-se que D. Afonso Henriques não era um marido carinhoso, focado na conquista de novas terras e em assegurar o reinado com um filho varão.

Gostei do toque que a autora deu ao livro. Também gostei que colocasse uma "nota da autora" no fim do livro, em que ela explica a sua interpretação da história.

Um livro obrigatório para os amantes de história!

By Lum

Isabel de Aragão, de Isabel Stilwell


"Entre o céu e o inferno. Assim foi a vida de Isabel de Aragão. Nasceu envolta no saco sagrado, a 11 de fevereiro de 1270, em Saragoça. Intocável. Protegida. Com poucos dias de vida o avô, Jaime I, levou-a consigo para Barcelona, no meio de uma tempestade. Cresceu a ouvir histórias de grandes conquistas, de reinos divididos por lutas sangrentas entre pais e filhos e entre irmãos. A história de Caim e Abel. Uma história que se repetiu ao longo da sua vida… Aos 12 anos casou com D. Dinis, rei de Portugal, e junto dele governou durante 44 anos. Praticou o bem, visitou gafarias, tocou em leprosos e lavou-lhes os pés, gastou a sua fortuna pessoal a ajudar os que mais precisavam e mandou construir o mosteiro de Santa Clara, em Coimbra. Da sua lenda fazem parte milagres, curas e feitos. Mas «a melhor rosa de Aragão», que herdou o nome da Santa Isabel da Hungria, «era boa para ser rei», como dizia muitas vezes o marido. Junto dos seus embaixadores e espiões, com a ajuda da sua sempre fiel Vataça, jogou de forma astuta no tabuleiro do poder. Planeou e intrigou. Mas a história teimava em repetir-se. Caim e Abel. Pai contra filho, o seu único filho varão contra os meios-irmãos bastardos. Morreu aos 66 anos, depois de uma penosa viagem de dezenas de léguas de Coimbra a Estremoz, montada numa mula, para evitar mais um conflito entre Portugal e Castela. Sempre acreditou que a película em que nascera a protegeria de tudo, mas nos últimos tempos de vida sentia-se frágil e vulnerável. E duvidava. Onde falhara como mulher e mãe? Isabel Stilwell, a autora bestseller de romances históricos, traz-lhe a extraordinária e emocionante história da rainha que Portugal imortalizou como Rainha Santa. "

Mais um livro excelente de Isabel Stilwell, tal como ela já nos vem habituando. 
Um livro sobre a rainha Isabel de Aragão, a nossa rainha santa. A sua vida é realmente um história cativante. Viveu com o avô Jaime I até este morrer e aos 12 anos casou com D. Dinis e veio para Portugal. Desde de pequena que fugia às suas amas para ajudar os pobres e doentes, e tratava leprosos. Em Portugal, nada mudou e continuou a ajudar, vendendo a sua fortuna pessoal para ajudar os que mais necessitavam. Mandou construir o Convento de Santa Clara, em Coimbra, onde quis ser sepultada. Sempre acompanhada da sua grande amiga Vataça, uma princesa inteligente, foi espia de Aragão e Portugal. Vataça foi igualmente uma mulher com uma história interessante, que acaba por ser uma pouco dela contada neste livro. Isabel foi mãe de apenas dois filhos, enquanto D. Dinis somava filhos bastardos. E foi por causa desses filhos bastardos, que a relação entre D. Dinis e o seu filho legítimo, D. Afonso foi atribulada, cheia de desconfianças, guerras... D. Isabel sempre tentou acabar com esta guerra que opunha pai e filho. 
Uma nota interessante, o livro não menciona o famoso milagre das rosas, mas fala de outros milagres que lhe são atribuídos.

Um livro apaixonante sobre uma rainha corajosa, bondosa e inteligente! Adorei e devorei o livro!
Aconselho vivamente!

Nota histórica: O Convento de Santa Clara mandado construir por D. Isabel esteve durante muito tempo em ruínas e submerso pelo rio Mondego. Hoje é chamado de Convento de Santa Clara-a-Velha e já é possível visitar (já o visitei e adorei). No entanto, o seu túmulo já não se encontra lá. Foi retirado, por este estar sempre submerso. O seu corpo foi transladado para um túmulo de prata e cristal e encontra-se no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova (este foi construído posteriormente, mais longe do rio) e que também possível visitar. O seu túmulo original também lá se encontra. 

By Lum